LabRua

13 Cidades que estão começando a banir os automóveis

2018-25-05; tradução, cidades sem carro

O site Business Insider publicou uma matéria sobre as 13 cidades que estão planejando banir os automóveis de suas ruas. O site archdaily republicou a matéria em português, traduzindo alguns trechos. Para tornar mais acessível a todos, fizemos a tradução completa do artigo.


tradução de Persio Padre

O mais alto tribunal administrativo da Alemanha determinou que, em um esforço para melhorar a qualidade do ar em áreas urbanas, as cidades podem proibir carros em algumas ruas. Como o New York Times observa, esta decisão pode abrir portas para que cidades em todo o país passem a utilizar menos o carro.

Stuttgart e Düsseldorf - cidades alemãs com altos níveis de poluição - provavelmente promulgarão as primeiras proibições no outono. Stuttgart, lar da Mercedes-Benz e da Porsche, recentemente favoreceu essas proibições. Em 2017, Stuttgart anunciou que, a partir deste ano, manterá veículos a diesel que não atendem aos padrões de emissões de entrar na cidade em dias de alta poluição.

Mas as cidades alemãs não são as únicas que se preparam para o movimento livre de carros. Planejadores urbanos e políticos em todo o mundo começaram a debater maneiras pelas quais as cidades podem criar mais espaço para pedestres e reduzir as emissões de CO2 do diesel.

Aqui estão 13 cidades liderando o movimento livre de carros:

Oslo, Noruega, implementará sua proibição de carros até 2019.

Oslo

Oslo. George Rex / Flickr

Oslo planeja banir permanentemente todos os carros do centro da cidade até 2019 - seis anos antes de a proibição nacional da Noruega entrar em vigor. A capital norueguesa investirá pesado em transporte público e substituirá 35 milhas de estradas anteriormente dominadas por carros com ciclovias. “O fato de Oslo estar avançando tão rapidamente é encorajador, e acho que será inspirador se forem bem-sucedidos”, disse Paul Steely White, diretor-executivo da Transportation Alternatives, uma organização que apóia ciclistas na cidade de Nova York e defende cidades sem carros.

A proibição planejada de Madri é ainda mais extensa.

Madrid
Madrid’s subway. Calvin Smith

Madri planeja banir carros de mais de 200 hectares [2km²] do centro da cidade até 2020, com urbanistas redesenhando 24 das ruas mais movimentadas da cidade para caminhar em vez de dirigir. A iniciativa faz parte do “plano de mobilidade sustentável” da cidade, que visa reduzir o uso diário de carros de 29% para 23%. Os motoristas que ignorarem os novos regulamentos pagarão uma multa de pelo menos US$ 100. E os carros mais poluentes pagam mais para estacionar. “Nos bairros, você pode fazer muito com pequenas intervenções”, disseram à Fast Company Mateus Porto e Verónica Martínez, arquitetos e urbanistas do grupo de defesa de pedestres A PIE. “Acreditamos que, independentemente do que o Plano Geral diga sobre o futuro da cidade, muitas coisas podem ser feitas hoje, se houver vontade política.”

As pessoas em Chengdu, na China, serão capazes de chegar a qualquer lugar em 15 minutos ou menos.

China
Adrian Smith + Gordon Gill Architecture

Os arquitetos de Chicago Adrian Smith e Gordon Gill projetaram uma nova área residencial para a cidade chinesa. O layout torna mais fácil andar do que dirigir, com ruas projetadas para que as pessoas possam chegar a qualquer lugar em 15 minutos. Enquanto Chengdu não banirá completamente os carros, apenas metade das estradas na cidade de 80.000 pessoas permitirá veículos. A empresa originalmente planejava fazer isso até 2020, mas as questões de zoneamento estão atrasando o prazo.

Hamburg está tornando mais fácil para não dirigir.

Hamburg
Hamburg. Carsten Frenzl/Flickr

A cidade alemã planeja tornar a caminhada e o ciclismo seu meio de transporte dominante. Nas próximas duas décadas, Hamburgo reduzirá o número de carros, permitindo apenas que pedestres e ciclistas entrem em determinadas áreas. O projeto prevê um netz gruenes, ou uma “rede verde”, de espaços conectados que as pessoas podem acessar sem carros. Até 2035, a rede cobrirá 40% de Hamburgo e incluirá parques, playgrounds, campos esportivos e cemitérios.

As bicicletas continuam a dominar as estradas em Copenhague.

Copenhague
Copenhagen. Flickr/Martin Fisch

Hoje, mais da metade da população de Copenhague anda de bicicleta para ir ao trabalho todos os dias, graças ao esforço da cidade ao introduzir zonas exclusivas para pedestres a partir da década de 1960. A capital dinamarquesa agora possui mais de 320 quilômetros de ciclovias e tem uma das menores porcentagens de propriedade de carros na Europa. O objetivo mais recente é construir uma superestrada para bicicletas que se estendem até os subúrbios próximos. A primeira das 28 rotas planejadas foi aberta em 2014 e outras 11 serão concluídas até o final de 2018. A cidade também se comprometeu a tornar-se completamente neutra em emissão de carbono até 2025.

Paris proibirá carros a diesel e dobrará o número de ciclovias.

Paris
Paris. Moyan Brenn

Quando Paris proibiu carros com placas pares por um dia em 2014, a poluição caiu em 30%. Agora, a cidade quer desencorajar os carros de trafegarem no centro da cidade. A partir de julho de 2016, todos os motoristas com carros fabricados antes de 1997 não poderão dirigir no centro da cidade durante a semana. Se o fizerem, serão multados, embora possam dirigir livremente para lá nos finais de semana. O prefeito diz que Paris também planeja dobrar suas ciclovias e limitar as ruas selecionadas aos carros elétricos até 2020. A cidade também continua a fazer esforços menores e de curto prazo para reduzir as emissões - seu primeiro dia sem carros foi em 2015, e foi instalado uma regra de domingo sem carros em 2016.

Londres pede que os motoristas paguem uma taxa de congestionamento.

Londres
London. Kosala Bandara/Flickr

Assim como Paris, o prefeito de Londres diz que a cidade vai proibir carros a diesel até 2020. Atualmente, a cidade desencoraja o uso de motores a diesel em algumas áreas da cidade, cobrando uma taxa de US$ 12,50 por dia por carros a diesel que entram nos horários de pico. Eles chamam isso de “taxa de congestionamento”. “Londres já está falando de uma zona de emissão ultra baixa, proibindo todos os tipos de veículos a diesel”, disse Stephen Joseph, da Campaign for Better Transport, ao The Telegraph. “Não é improvável que sejam banidos da mesma forma que Paris fez.” Em julho de 2017, a Grã-Bretanha como um todo anunciou que proibiria as vendas de novos carros a diesel e a gás até 2040. O objetivo é combater a crescente crise de poluição do ar na Grã-Bretanha, segundo o The Guardian.

Bruxelas, Bélgica, apresenta a maior área livre de carros da Europa.

Bruxelas
Terrasse au Vaudeville in Brussels, Belgium. Stephane Mignon/Flickr/Flickr

A maioria das ruas que circundam a praça da cidade de Bruxelas, a bolsa de valores e a Rue Neuve (uma importante rua comercial) sempre foram exclusivas para pedestres. As estradas formam a segunda maior zona livre de carros da Europa, atrás de Copenhague. Em 2002, Bruxelas lançou sua primeira “Semana da Mobilidade”, destinada a incentivar o transporte coletivo em detrimento do transporte individual. E por um dia todo mês de setembro, todos os carros são banidos de todo o centro da cidade. A cidade está procurando por mais maneiras de expandir suas zonas livres de carros - uma proposta transformaria uma popular avenida de quatro faixas em uma área somente para pedestres. Em janeiro de 2018, Bruxelas começou a proibir carros a diesel fabricados antes de 1998. E neste verão, a cidade tornará o transporte público gratuito em dias de alta poluição, segundo o The Guardian.

Berlim está construindo superestradas de bicicleta.

Berlim
Shutterstock/katjen

Em 2008, a capital alemã criou uma zona de baixa emissão que proíbe todos os veículos a gás e diesel que não cumpram os padrões nacionais de emissão. A área cobre cerca de 88 km² no centro da cidade e afeta aproximadamente um terço dos moradores de Berlim, segundo Curbed. Berlim também anunciou um plano em março de 2017 para construir uma dúzia de superestradas de bicicleta, cada uma com pelo menos 4 metros de largura e bloqueadas dos carros. A cidade começou a construção no final de 2017.

A Cidade do México espera proibir cerca de dois milhões de carros do centro da cidade.

Mexico
Tristan Higbee/Flickr

Em abril de 2016, o governo local da Cidade do México decidiu proibir uma parte dos carros de trafegarem pelo centro da cidade, dois dias por semana de trabalho e dois sábados por mês. Ele determina quais carros podem dirigir em um determinado dia usando um sistema rotativo com base nos números das placas. De acordo com a Associated Press, a política se aplica a cerca de dois milhões de carros e ajuda a reduzir os altos níveis de poluição da cidade.

Bogotá trabalha para expulsar carros das ruas desde 1974.

Bogotá
The skyline of Bogotá, Colombia, on November 12, 2016. Shuttershock

Em Bogotá, na Colômbia, mais de 120 quilômetros de estradas são fechadas para veículos um dia por semana, no evento que começou em 1974, chamado Ciclovía. A cidade agora tem mais de 320 quilômetros de pistas exclusivas para bicicletas também. Em 2013, o governo local também implementou o programa Pico y Placa (Pico e Placa), com proibições de dirigir durante a hora de pico do tráfego. A restrição se aplica a certas placas em certos dias da semana, dependendo se elas são par ou ímpares.

São Francisco quer proibir carros em uma das ruas mais movimentadas.

São Francisco
Reuters/Robert Galbraith

Em agosto de 2017, San Francisco anunciou seu plano de proibir carros e adicionar ciclovias em 3,5 quilômetros da Market Street, uma das avenidas mais movimentadas da cidade, informou a SF Gate. Em toda a cidade, havia quilômetros de ciclovias totais. Oito anos em desenvolvimento, o plano de US$ 604 milhões visa tornar a Market Street mais amigável aos pedestres. O projeto levará vários anos, mas a construção da primeira fase começou no início de 2018.

A cidade de Nova York está diminuindo o tráfego de carros em pequenas doses.

Babu
The pedestrian and bike lanes on the Brooklyn Bridge in NYC. Flickr User Theasijtsma

Embora a cidade de Nova York não esteja planejando uma proibição de carros em breve, está aumentando o número de áreas para pedestres, juntamente com as opções de compartilhamento de bicicletas, metrô e ônibus. Alguns trechos em áreas populares como Times Square, Herald Square e Madison Square Park são permanentemente exclusivas para pedestres. Nos três sábados, todo mês de agosto, centenas de milhares de pessoas aproveitam as ruas de verão, um evento anual que proíbe carros de trafegarem em uma importante via que liga o Central Park à ponte do Brooklyn e abre estradas para pedestres. A Transportation Alternatives, com sede em Nova York, também espera trabalhar com a cidade para criar mais praças para pedestres. Paul Steely White disse que os planejadores urbanos não estão mais tentando otimizar Nova York e outros lugares para os motoristas, e estão pensando em cidades de maneira diferente. “É assim que a vida cotidiana pode parecer, como se as pessoas fossem importantes”, disse White. “A pior coisa como um morador urbano é ficar com o carro como sua única opção.”

Do site business insider: http://www.businessinsider.com/cities-going-car-free-ban-2017-8/#oslo-norway-will-implement-its-car-ban-by-2019-1